Postagens

Mostrando postagens de 2009

2012

É o fim do mundo!! 21 de dezembro de 2012. Anotem a data. E quer saber, eu não me importo que o mundo se acabe. Sinceramente, acho que esse mundo já deu o que tinha que dar, tanto nas questões que dizem respeito ao relacionamento humano: violência, corrupção, injustiça, ignorância, inversão de valores e falta de compreensão. Quanto no que diz respeito ao próprio clima do planeta: calor insuportável e chuvas que mais parecem dilúvios. É realmente de se pensar que o fim esta próximo.
O bom de quando algo se acaba, é que pode haver uma nova chance para um recomeço. Uma segunda oportunidade para nos fazer pensar no que fizemos de errado para que tudo se acabasse enfim. 2012, no entanto, não consegue fazer essa reflexão como foi feita, por exemplo, em outro blockbuster também sobre o fim de mundo, O Dia Depois do Amanhã, que aliás também foi dirigido por Roland Emmerich. Neste último, se optou pelo mote da questão ecológica. E já em 2012 se parte do mito do calendário escrito pela civilizaç…

Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo

Esta bela frase dá título ao também belo filme de Karim Ainouz (Madame Satã e O Céu de Suely) e Marcelo Gomes (Cinema, Aspirinas e Urubus). O filme está em competição dentro da mostra Premiére Brasil, do Festival do Rio 2009. Apesar de ainda não ter assistido a todos os outros 10 filmes brasileiros que estão em competição, estou apostando que algum prêmio importante o filme irá levar, quiçá o de melhor longa de ficção, ou de melhor direção.

Esses dois diretores brasileiros mostram na tela que possuem uma enorme afinidade cinematográfica, ao ponto de co-dirigirem um filme de forma admirável e ainda com uma narrativa extremamente ousada. Os dois também nasceram em cidades da região nordeste. Marcelo é de Recife (PE) e Karim é de Fortaleza (CE). E esse fato, com certeza, influenciou na escolha dos dois em fazerem um filme sobre uma viagem que perpassa várias cidades do sertão nordestino. Então, em 1999, eles juntaram uma pequena equipe e resolveram fazer essa viagem, que partiu de Juazeir…

Bruno

A linha de humor seguida pelo ator inglês Sacha Baron Cohen é a do estilo ácido, bem ácido. E isso os espectadores, de uma forma geral, já estão acostumados. Nos EUA essa linha de humor possui vários adeptos, como Whoopi Goldberg, Chris Rock e Sarah Silverman. Todos eles não têm papas na língua e alfinetam tudo e todos com um humor extremamente agressivo e hilariantemente perturbador. Porém, Sacha vai além. Podemos dizer que além da acidez, o seu humor é kamikaze! Ele realmente joga os seus personagens em situações que ultrapassam os limites do possível. Isso aconteceu com Borat (Borat: Cultural Learnings of America for Make Benefit Glorious Nation of Kazakhstan, 2006) e se repete com Bruno.

Assim como Borat, Bruno também é um repórter, porém do mundo da moda. Ele é gay, austríaco e trabalha para um programa de TV chamado Funkyzeit. Outro fato em comum com Borat, é que ambos personagens são de países não muito populares (Cazaquistão e Áustria) e que decidem ir para os EUA para tentarem…

3 MACACOS

Imagem
O diretor turco Nuri Bilge Ceylan vem se destacando cada vez mais no Festival de Cannes. Em 2006, o seu filme Climas (Iklimler, 2006) ganhou como o Melhor Filme Pela Crítica Internacional. E em 2008, ele venceu o prêmio de Melhor Direção com 3 Macacos (Üç Maymun, 2008).

A história começa com um atropelamento, seguido de um pedido do autor do acidente, que no caso é um político em plena campanha eleitoral, para que o seu motorista assuma a culpa e vá preso em seu lugar. Em troca ele receberá um bom dinheiro quando sair da prisão.

Os personagens dessa história nos são apresentados de forma bem sutil. O ambiente e o clima do filme ganham um tom interessante graças aos planos, que são todos parados e longos, funcionando como uma premissa das situações que se mostram logo em seguida. A ausência de trilha sonora, faz com que os sons também se tornem uma importante peça para a narrativa. Seja o trovão que inicia e termina o filme, ou o barulho do trem que passa ao lado da casa em que eles mo…

O Exterminador do Futuro 4: Salvação

Imagem
Parece que agora virou uma tendência em Hollywood em transformar os vilões em figuras mais complexas e muito mais interessantes que os heróis. Assim foi o Coringa de “Batman, O Cavaleiro das Trevas” e assim é o Marcus do “Exterminador do Futuro 4”. Que inclusive por uma coincidência, os heróis de ambos filmes são vividos pelo ator Christian Bale. Com o roteiro assinado pelos mesmos autores do terceiro filme da série, dessa vez eles conseguiram não só se aprofundar mais na história como tecer uma boa costura entre os três filmes anteriores. McG, o diretor que tem nome de rapper e que dirigiu “As Panteras”, comprova sua excelência para as cenas de ação. Logo no início do filme, há um plano sequência incrível do John Connor pilotando um helicóptero.

O filme se passa num futuro nem tão distante assim, no ano de 2018, em que aquilo que foi previsto é inevitável e o Dia do Julgamento acontece. Tudo porque a Skynet, um software de defesa do serviço militar é acionado e adquire inteligência pr…

Garapa

Imagem
Este é o nome do mais novo documentário de José Padilha. Depois de Tropa de Elite (2007) ter sido premiado com o Urso de Ouro no “58º Festival de Cinema de Berlim”, Padilha volta ao cenário cinematográfico brasileiro levantando mais um debate social. Agora o seu foco está num tema extremamente cruel e duro de se encarar, a Fome. O filme foi feito em preto e branco e completamente ausente de trilha sonora. Antes da primeira exibição do documentário no Brasil, dentro da 14ª edição do festival “É Tudo Verdade”, Padilha diz que este é um filme em que o cinema por si só não importa, e sim a realidade ali impressa na tela. Porém, discordo do diretor. A escolha das imagens e a montagem se fazem presentes de modo muito forte dentro da narrativa do filme, pois as histórias das famílias se entrelaçam de uma maneira que na realidade, talvez, isso não fosse possível. E é justamente desse entrelace que conseguimos ter uma dimensão maior do que é a Fome e como ela atua de uma forma muito mais abran…

O Curioso Caso de Benjamin Button

Imagem
Fascinante! Essa é a melhor palavra para definir essa obra prima dirigida por David Fincher, que aliás vem se destacando cada vez mais, tanto pelo seu perfeccionismo nas imagens filmadas, como pelas temáticas interessantes de suas produções. Basta relembrarmos rapidamente da sua filmografia: Alien 3 (1992), Seven (1995), Vidas em Jogo (1997), Clube da Luta (1999), Quarto do Pânico (2001) e Zodíaco (2007).

No início do filme conta-se a história de um relojoeiro que perdeu seu filho na guerra e constrói um relógio que anda para trás. Em seu discurso, ele diz que fez o relógio dessa maneira para que fosse possível voltarmos no tempo e fazer com que os pais, que perderam seus filhos na guerra, os tivessem de volta. Essa breve história funciona como uma espécie de prefácio e de gancho para a história que está por vir. Baseado num conto de F. Scott Fitzgerald, o filme narra a saga de Benjamin, um neném que nasceu com a idade de um velho e que com o passar dos anos vai rejuvenescendo.

Brad P…